Páginas

quarta-feira, 15 de junho de 2016

Registro: Torneio Interno Junho/2016

Prezados Torcedores Responsáveis,

O Torneio Interno de Junho/2016 (categoria 08 a 10 anos) foi emoção até o final! Decidido nos pênaltis, com a arquibancada vibrando - e papais e mamães de coração nas mãos! Algumas fotos da competição (por Rafael Magalhães) já estão em nosso álbum na internet, no link:



Estamos aguardando o trabalho de seleção de fotos para completar o álbum e, muito em breve, comunicamos! Confiram os resultados:

CampeãoPantera Negra [Antonio Salomone*, Luca Marques, Felipe Mattos, Henrique Bahiense, Gustavo Marcolino]. 
 

Vice-CampeãoBola Furacão [Gustavo Portela*, Pedro Abba, Lucca Borges, J. Pedro Pinho].

3o LugarCarreta Furacão [Lourenço*, Joca, Gabriel Brakarz, Henrique Miranda, J. Pedro Àvila].

4o LugarOs Minions [Caetano*, Pietro, Théo d'Àvila, Victorino, J. Victor Paraíso].

5o LugarMc Folhinha Marrom [Rafael Austin*, Fred Martins, Ravi Igreja, João Arraes, Felipe Bastos, Pedro Futura].

6o LugarÉ gol [Danilo*, Pedro Porto, Felipe Cukier, Pedro Burlamaqui, Gabriel Junqueira, Antonio Ketter].

7o LugarOs Campeões de Ouro [André Massa*, Ricardo Sertã, Diogo Gavinho, Bento, Felipe Stopatto].

8o LugarBatatas Militares [Artur Storino*, Lucas Bond, Pedro Barreto, Daniel Moura, João Caminha, Miguel Mexas].

*Premiação Especial (a cor corresponde à equipe):

[O pênalti decisivo]
Craque: Gustavo Portela
Artilheiro:Gustavo Portela 
Melhor Goleiro: Gustavo Marcolino
Medalha Raça: Pietro Bellintani

***
Gostaríamos de agradecer, antes de tudo ao apoio das famílias: o comparecimento e o carinho com o Chutebol são fundamentais para dar sustentação ao compromisso pedagógico de, efetivamente, educar pelo esporte. Para além do discurso, sabemos, pela experiência, que é na prática que se evidencia o suporte do adulto à criança, em especial nos momentos mais difíceis.

[O Craque em ação]
Como é perder? Como é suportar perder seguidas vezes? Será que sou bom? Corro o risco de decepcionar minha família e amigos? Sou capaz de vencer? Estas e muitas outras questões permeiam o momento competitivo que, se bem aproveitado - qualquer que seja o resultado obtido - implica em aprendizagens diversas, bem como no enriquecimento da personalidade da criança. 

Antes da decisão, vencida nos pênaltis pela equipe Pantera Negra, houve um momento que talvez poucos tenham reparado: os próprios jogadores das duas equipes (a outra era a Bola Furacão) organizaram um cumprimento antes do início da partida, nos moldes que temos visto nos jogos profissionais. Fugiu ao nosso protocolo que, por questões de agilidade, prevê o cumprimento apenas depois de cada jogo.

Para além da identificação com os jogadores profissionais, antigo sonho infantil, conseguimos mais uma vez proporcionar este ambiente bom, no qual os finalistas, sem a ajuda de qualquer adulto, fizeram questão de se congratular antes da partida decisiva. Demonstraram que estão se formando como pessoas que se preocupam com outras pessoas. Não parece pouco.
[Medalha Raça]


Acredito firmemente que o cuidado dos próprios jogadores para com os adversários foi (é) reflexo do bom acolhimento que todos nós, familiares e professores, temos nos esforçado em proporcionar. 

Mais uma vez, muito obrigado a todos!

Aquele abraço, saudações esportivas