Páginas

segunda-feira, 10 de junho de 2013

Período de Competições

Prezados Torcedores Responsáveis,

Estamos iniciando o período de competições. O Torneio À Vera chegou ao final, e os amistosos se iniciaram. As fotos de todas as turmas (até dos mais novinhos!) estão no Álbum do Chutebol. Neste período é normal algum desconforto em determinadas situações, um certo mal-estar quando as coisas não saem exatamente como a gente acha que deve ser. Tudo bem, pra todo mundo é assim. Então algumas questões surgem, e vamos tentando esclarecer, sempre buscando o diálogo, porém preservando o lugar dos profissionais, que são educadores.

[Time de Ouro x Bola de Diamante]
O primeiro ponto é justamente esse: o professor, investido do papel de treinador; os pais, como torcedores; e as crianças não mais como alunos e filhos, mas como jogadores. Num país como o nosso, apaixonado por futebol, tudo isso pode dar um imenso prazer, ou uma frustração tamanha. Honestamente, pode ser que tenha acontecido, mas não lembro de termos recebido reclamações quando as equipes vencem. E o calo aperta: todo mundo entende de futebol, muita gente advoga que assiste futebol há mais de tantas décadas, e o filho deveria estar jogando assim mas está jogando assado... 

Bem, de nossa parte entendemos que tudo isso deve ser respeitado, mas com os devidos lugares preservados. Porque, no Brasil, não é só quem trabalha com futebol que entende de futebol. Mas, por outro lado, já imaginaram se o profissional do futebol supõe que, por gostar de música, tocar instrumentos e ouvir música há décadas, ele está no direito de ir lá até o músico, no meio de seu show e dizer que a nota certa não era o Fá, mas o Ré? Ou pro diretor de teatro, porque ele frequenta teatro, que a peça está mal dirigida? Pois é... 

É mais do que legítimo cada um ter sua opinião, mas os lugares são, simplesmente, diferentes. É a diferença que marca os lugares. Daí a necessidade do diálogo. Numa boa, e procurando se desinvestir das personagens, lembrando que a essência do trabalho é a educação esportiva, e não a preparação de atletas, então: os jogadores são crianças, os treinadores são professores, e os torcedores são pais e profissionais de diversas áreas - e o que os une? A paixão pelo futebol! Então vamos procurar fazer disso uma coisa legal pra todo mundo, podendo conversar para suportar desconfortos que vão surgir. Quem lucra com isso? As crianças! 
***
[Equipe Sub-8 do Clube Militar]
Isto posto, vamos aos resultados dos amistosos (como sempre duríssimos!) contra o Paissandu:

Categoria sub-8: CM 1x0 Paissandu

Categoria sub-10: CM 1x2 Paissandu
                             CM 3x4 Paissandu
                             CM 2x4 Paissandu

Categoria sub-12: CM 0x1 Paissandu
                             CM 2x0 Paissandu
                             CM 3x1 Paissandu

Categoria Sub-14: CM 4x3 Paissandu

Foram 4 vitórias para cada lado, sendo duas derrotas particularmente doloridas para nós: as duas primeiras do sub-10, em que saímos na frente e levamos a virada no fim do jogo. Fica como aprendizado, e todos temos de melhorar para enfrentar os próximos desafios.

Houve ainda o amistoso da equipe Sub-13:
CM 2x3 Esporte Vida Projeto Social

[Leksons x Borússia Dórtimundi]
É importante frisar que:

- Nas competições, utilizamos uma base de jogadores (normalmente o goleiro e dois de linha) que dificilmente saem do jogo, porque reconhecidamente dão segurança ao time. Os jogadores compreendem isso, e se sentem mais seguros para revezar nas outras posições. O time não fica bagunçado e ganha em entrosamento. É uma ingenuidade achar que 'todo mundo tem de jogar o mesmo tempo', 'todo mundo joga igual'. Isso não é verdade, e as crianças sabem disso. Daí nossa opção por conversar abertamente com eles sobre isso. E ficam mais tranquilos. Cada um contribui com a equipe no seu possível, sempre buscando melhorar.

- As funções dentro de uma equipe são um aprendizado que consideramos importante. Nossa pedagogia utiliza o tempo das aulas também para brincadeiras, tempo livre e atividades psicomotoras, pois o intuito é educar e não formar atletas; assim sendo, um preciosismo técnico é propositalmente deixado de lado - e apostamos na inteligência dos alunos para fazer as funções em quadra. Então é importante um aluno/jogador poder colaborar em mais de uma posição. Ele aprende, ajuda a equipe, lida com alguma frustração e, se for o caso, conversa com o professor para atuar aonde mais gosta. Sem melindres.

Por último, uma síntese relacionando as idades e as competições:

*Turmas de 4 a 6 anos: Não disputam torneios, os jogos das aulas são estímulos suficientes para competir. Costumam ser convidados para assistirem aos eventos e ver como é.

*Turmas de 6 a 9 anos: Disputam o Torneio À Vera (durante as aulas, só com os jogadores da própria turma) e o Torneio Interno (misturando com as outras turmas da mesma faixa etária do Clube). Apenas uma equipe, dentre todas as turmas, é formada para representar o Clube Militar em competições externas. Normalmente os alunos mais maduros, com experiência das competições acima descritas. Uma equipe só, porque ainda consideramos uma idade muito incipiente, e a competição externa tem um potencial traumático grande.

*A partir dos 10 anos: Os alunos, além das competições supracitadas, disputam competições externas (amistosos e Copa Futsal). Com um detalhe: ao longo dos anos, temos muito cuidado em montar as equipes, pois por exemplo, um aluno que jogou a Copa com 10 anos, mas com 11 ainda está com a maturação física frágil para disputar um sub-12, costumamos conversar e treinar para o próximo ano, em que ele ainda será sub-12, e assim por diante. É um cuidado que temos para não expor a criança.

[Craques das 10h!]
Bem, por enquanto é isso. Gostaríamos de agradecer mais uma vez ao apoio das famílias. A educação esportiva é propalada pelo mundo inteiro, mas na prática costuma virar uma mera reprodução das intolerâncias profissionais. Vamos todos nós, pais, professores e alunos, ficar atentos, relaxar um pouco e procurar se divertir - e isso em nada contradiz aquela vontade de vencer, é claaaro!

Aquele abraço, saudações esportivas

10 comentários:

Flavia disse...


Abs foi ótimo!

Jacqueline disse...

Rodrigo,

O amistoso foi ótimo. Parabéns pela organização.
O uniforme do Pedro está ok. Acho que já disse que ficou bem bonito. É lindo!
Parabéns mais uma vez.
Um beijo,

Bjo,
Jacque

Patricia Terra disse...

Foi Bacana pra todo mundo! Bjs

Carol Carvão disse...

Boa, primo!

Julia Campana disse...

Boa Rodrigo!! Essa foto me lembra do glorioso Juventos e da escolinha do Andre.. Muito bom ver a cara de felicidade da mulecada!! Bola pro alto que o jogo e de campeonato!! =)

Fernanda Vasconcellos disse...

Rô, lindos demais!! Deve ser uma delícia trabalhar com crianças! Admiro muito o seu trabalho e o chutebol! Beijos

Lalá disse...

Belos!

Rodrigo Tupinambá Carvão disse...

Valeu galera, muito bom esse apoio!
Beijos mil!

Andréa Aloy disse...

Vcs são o máximo! Sempre estimulando o lado positivo das crianças, com uma atenção e cuidado impar!
Fico muito feliz mesmo do Joao ser aluno de vcs!

Andrea Martinelli disse...

É sempre muito emocionante ver o entusiasmo, a garra e a paixão desses meninos em campo. Nas aulas, nos amistosos ou nos torneios eles sempre dão um show! Nas vitórias ou nas derrotas sempre somando conquistas!!!!
valeu garotada!!!!
Andréa mãe do Heitor